Pesquisar
Pesquisa Avançada

Informativo 1/Out - Nov - Dez/2003


Informativo ANPAD

O Informativo ANPAD constitui mais uma forma de comunicação e diálogo entre os integrantes da comunidade acadêmica da área de administração e contabilidade. O seu desenvolvimento como mecanismo de comunicação e de efetivo diálogo na nossa academia depende mais dos esforços dos membros associados do que da diretoria. Explico-me: é com base na quantidade e, em especial, na qualidade das informações e das opiniões enviadas pelos associados que se constrói um bom informativo. A diretoria deve atuar mais como estimuladora do uso desse espaço de diálogo, propiciando a oportunidade e a forma de acesso.

A oportunidade de envio de informações e opiniões está dada a toda a nossa comunidade acadêmica. Espera-se o recebimento sistemático de notícias e de análises que sejam relevantes para a área de atuação da ANPAD. A cada trimestre ocorrerá a edição do informativo por meio eletrônico, através do site www.anpad.org.br. Este primeiro número foi editado, excepcionalmente, também na tradicional forma em papel.

Neste primeiro boletim há muitas novidades para anunciar à nossa comunidade acadêmica. A primeira delas configura-se pela ampla reformulação do site da ANPAD: só mesmo visitando-o para verificar a extensão da mudança.

A segunda novidade consiste na disponibilidade de acesso por meio eletrônico aos trabalhos constantes dos anais dos encontros da ANPAD no período de 1997 a 2001. A defasagem será sempre de um ano, aproximadamente. Assim, em cerca de trinta dias decorridos de cada evento da associação será disponibilizado no site os anais do congresso imediatamente anterior. A terceira novidade refere-se também ao acesso através do site aos artigos publicados na Revista de Administração Contemporânea, no período de janeiro de 1997 a agosto de 2001. No caso da RAC a defasagem será sempre de dois anos, tendo em vista que uma revista precisa de assinaturas para se manter com padrão de qualidade.

As inovações no formato do EnANPAD constituem a quarta novidade. Além da incorporação definitiva do consórcio doutoral, que implicou em mais um dia na programação do evento, adicionaram-se às sessões tradicionais duas novas formas de apresentação de trabalhos: as sessões interativas e os painéis. Estas inovações objetivam propiciar maior oportunidade para troca de idéias e debates – fatores fundamentais para o indispensável aperfeiçoamento da qualidade da nossa produção científica.

Uma comunidade acadêmica forte apóia-se em facilidades materiais, como as mencionadas, mas sobretudo em trabalhos científicos de crescente qualidade. Assim, pois, a quantas anda a nossa produção?

Seguramente observamos, além do excepcional crescimento quantitativo, evolução qualitativa na produção acadêmica da área, em especial nos últimos dez anos. Ainda assim temos problemas de qualidade, como revelam de forma consistente as publicações sobre o estado da arte da nossa produção científica em diversos campos da administração. Em poucas palavras: o surpreendente aumento quantitativo não foi acompanhado por evolução qualitativa de mesmo diapasão.

É essencial, no estágio em que nos encontramos, que nos conscientizemos da indispensabilidade de elevarmos a nossa produção acadêmica ao nível do padrão internacional, sem perder de vista as especificidades e a relevância do nosso contexto sociocultural. Para tanto visualizo pelo menos três atitudes imediatas.

A primeira coisa que devemos fazer é parar de seguir modismos apenas por parecerem novidades – no mais das vezes não o são. Essa mania brasileira, já adequadamente abordada no tratamento da influência do estrangeirismo na literatura administrativa nacional, decorre de pelo menos dois equívocos medulares: a) modismos resolvem problemas práticos; b) por parecerem novidades atendem à desejada condição de originalidade da produção científica. Aqueles podem até soar bem em atividades de consultoria, mas normalmente mais criam do que resolvem problemas práticos. Estes constituem uma abissal impropriedade de uso do conceito de originalidade, concretizando um desserviço para o necessário processo de construção e acumulação de conhecimentos em nossa área.

Tenho observado, surpreendentemente, críticas desacertadas de falta de originalidade em trabalhos reconhecidos como sendo teórica e metodologicamente bem formulados, por tratarem de temas recorrentes, que resultam de esforços continuados de grupos de pesquisa. Em vez de se considerar a originalidade pelo tipo de construção ou corte teórico ou metodológico, ou, ainda, pela propriedade de aplicação, o conceito é tratado dominante e equivocadamente como sinônimo de pseudonovidade temática.

A segunda coisa que devemos fazer é valorizar os trabalhos de qualidade dos grupos que adotam e se mantêm consistentemente em linhas de pesquisa, com temas claramente definidos, visando à construção e acumulação de conhecimentos em nossa área, em conformidade com orientações decorrentes de duas primordialidades: inserção internacional e contextualização sociocultural.

É bem provável que o nosso calcanhar-de-aquiles seja o pequeno número de grupos de pesquisa, estruturados com abordagens e temáticas consistentes e duradouras, na meia-centena de programas recomendados pela CAPES, em nossa área. Precisamos passar a criticar com tenacidade àqueles que pipocam de um tema para outro, com a rapidez com que se troca de camisa, visando a estar sempre na onda dos modismos, uma vez que atuam em direção contrária à vital urgência de decisivo aperfeiçoamento qualitativo da nossa produção científica.

A terceira coisa que devemos fazer é dedicar maior tempo para elaboração de nossos trabalhos. Trabalhos científicos consistentes demandam tempo. Tempo é elemento escasso na academia brasileira de administração, que se sente premida pela necessidade de apresentar produção em congressos e de publicar em anais e revistas, a par de atender à exigência de levar a efeito uma série quase infindável de outras atividades. Observa-se que muitos trabalhos foram apressadamente concluídos, a fim de atender à demanda de publicar contínua e intensamente. Muitos desses trabalhos, com melhor uso de critério e tempo, poderiam subir degraus nos patamares de qualidade.

Não tenho dúvidas de que outras atitudes e ações podem e devem ser sugeridas. Todavia, a adoção criteriosa destas três já significaria um gigantesco passo em direção à efetiva elevação da qualidade da nossa produção científica ao nível do padrão internacional.

Clóvis L. Machado-da-Silva




Management in Iberoamerican Countries: Current Trends and Future Prospects

Conferência: Management in Iberoamerican Countries: Curret Trends and Prospects - promovido pela Iberoamerican Academy of Management
De 07 a 10 de dezembro de 2003, na FGV-EAESP, em São Paulo/SP



Seminário Quartas de Pesquisa

O tema Mundialização e Democracia foi destaque no primeiro semestre de 2003 do Seminário Quartas de Pesquisa. O autor é Jean-Marc Siroen, professor de Ciências Econômicas na Université Paris-IX Dauphine e diretor da École Doctorale de Sciences Économiques de Paris-Dauphine. O evento é promovido pelo Centro de Formação Acadêmica e Pesquisa da EBAPE/FGV/RJ.



A Abordagem do Trabalho e sua Contribuição para a Pesquisa em Administração

O seminário internacional intitulado A Abordagem do Trabalho e sua Contribuição para a Pesquisa em Administração foi o evento realizado em 2003 pelo Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Federal do Espírito Santo. O seminário iniciou no dia 22 de maio, e os palestrantes foram Yves Schwartz, professor doutor da Université de Provence, e Dayse Cunha, professora mestra da UFMG e doutoranda da Université de Provence. Já no dia 23, professores, alunos e pesquisadores da área de Psicologia e Sociologia do Trabalho participaram do workshop com o professor doutor Yves Schwartz.



Sentidos de Lévi-Strauss marca comemoração dos 75 Anos da USP

A Universidade de São Paulo (USP) promoverá, no período de 9 de outubro a 11 de dezembro, o Seminário “Sentidos de Lévi-Strauss”, uma iniciativa da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH), dentro da atividade Seminários e Exposição Itinerante “Fundadores da USP”, que celebra o aniversário de 75 anos da Universidade.

As palestras programadas têm caráter duplamente comemorativo, tanto pelo Jubileu da USP quanto pelo 100º aniversário do antropólogo Claude Lévi-Strauss, a ser celebrado em novembro deste ano. Lévi-Strauss também receberá, em breve, o título de Doutor Honoris Causa, outorgado pelo Conselho Universitário da Universidade de São Paulo, ele que iniciou na USP sua carreira no ensino superior, e permaneceu na Universidade entre 1935 e 1938.

Por Fundadores da USP, a professora Maria Arminda do Nascimento Arruda, coordenadora do projeto, destaca os professores estrangeiros que foram contratados pela Universidade de São Paulo no momento de sua fundação, o mesmo da criação da então Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras. “Foram contratados professores franceses, alemães, italianos e portugueses para diversas faculdades da Universidade recém-criada, em 25 de janeiro de 1934. O grupo que adquiriu mais visibilidade ao longo do tempo foi aquele conhecido como Missão Francesa”, afirma Maria Arminda.

O grupo completo era constituído dos seguintes professores franceses: Robert Garric, Émile Cornaert, Pierre Deffontaines, Paul Arbosse-Bastide, Roger Bastide, Etienne Borne, Pierre Hourcade, Michel Bervellier, Jean Mangue, Jean Gagé, Alfredo Bonzon, Pierre Monbeig, Fernand Paul Braudel, François Perroux, Pierre Fromont e Claude Lévi-Strauss.

O Seminário “Sentidos de Lévi-Strauss” compreende três partes. Um ciclo de conferências, que pretende lançar uma reflexão ampliada sobre a obra do antropólogo, pensando-a do ponto de vista de sua contribuição original para a antropologia, e em termos de seus rebatimentos em outras áreas do conhecimento: crítica literária, artes, filosofia e psicanálise.

As palestras, semanais, serão encerradas com um recital – cujo repertório inclui músicas da predileção do autor – e com a leitura comentada de trechos de seus livros.

Vale lembrar, também, que uma festa terá lugar no dia 27 de novembro, à noite, quando na França já será 28, dia do aniversário do mestre. 

Ao longo do período do Seminário será possível conhecer imagens inéditas de Lévi-Strauss na exposição fotográfica “Um quase holograma”, no saguão do prédio de Ciências Sociais da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP.

Fazem parte da organização do evento Beatriz Perrone-Moisés, Fernanda Arêas Peixoto, Márcio Silva, Marta Rosa Amoroso, Renato Sztutman e Sylvia Caiuby Novaes, professores do Departamento de Antropologia da FFLCH.

O seminário é aberto a todos os interessados e não há necessidade de inscrição prévia (veja aqui a programação completa de “Sentidos de Lévi-Strauss”, com a indicação do local e horário de cada palestra).

O Instituto de Estudos Brasileiros está localizado à Av. Prof. Mello Moraes, trav. 8, 140, Cidade Universitária e o Centro Universitário Maria Antonia fica na Rua Maria Antonia, 294, Vila Buarque. Mais informações podem ser obtidas pelo site www.usp.br/75anos



1º Seminário Internacional Estado, Território e Desenvolvimento: Contradições, Desafios e Perspectivas
De 04 a 06 de junho de 2012
Universidade Federal da Bahia - UFBA
Salvador/BA
Mais informações: www.seted.ufba.br


Inscrições para Mestrado na Universidade Estácio de Sá
Estão abertas as inscrições para o curso de Mestrado em Administração e Desenvolvimento Empresarial (Made), na Universidade Estácio de Sá (RJ). O prazo encerra no dia 27 de novembro, e o edital do exame está disponível no novo site do
Made: www.estacio.br/mestrado


Inscrições para Mestrados em 2004 na Unisinos
As inscrições para os Mestrados em Administração e em Ciências Contábeis da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos) estarão abertas de 2 de janeiro a 14 de fevereiro de 2004. As aulas começam no dia 18 de março. Outras informações podem ser obtidas no site www.economicas.unisinos.br/pos/mestrado

COPPEAD/UFRJ recebe financiamento do BID
O Coppead/UFRJ terá um projeto de pesquisa financiado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento. O projeto " Entrenchment, incentives, corporate valuation and dividend payout policy in Brazil and in Chile", da área de governança corporativa, está entre apenas cinco da América Latina, sendo o único brasileiro selecionado.

IV Workshop em Internacionalização de Empresas
Acadêmicos, executivos, profissionais e estudantes participaram o IV Workshop de Internacionalização de Empresas, realizado nos dias 6 e 7 de novembro. O evento é promovido pelo Núcleo de Pesquisas em Internacionalização de Empresas do Coppead/UFRJ. Este workshop vem construindo uma tradição, tornando-se um espaço privilegiado para o debate consistente sobre temas como comércio exterior, internacionalização de empresas e gerenciamento intercultural.

Seminário de Governança Corporativa do COPPEAD/UFRJ e Amcham
Numa iniciativa entre o Coppead/UFRJ e a Câmara de Comércio Americana do Rio de Janeiro (Amcham), foi realizado um seminário sobre governança corporativa, de 5 a 12 de novembro. O evento ocorreu no American Business Center, no Rio de Janeiro, e teve como objetivo atualizar executivos de primeiro escalão de empresas de médio e grande porte sobre modernas práticas internacionais de governança corporativa, através de casos do acervo da Harvard Business School.

Inauguração de cátedra em São Paulo
A Universidade Metodista de São Paulo (Umesp) e o Programa de Pós-Graduação em Administração da cidade de São Bernardo de Campos (SP) inauguram a Cátedra Prefeito Celso Augusto Daniel de Gestão de Cidades. A solenidade será no dia 14 de novembro, na Umesp. A nova cátedra deverá funcionar como núcleo de trabalho docente, discente e comunitário, sendo que um de seus principais objetivos é o desenvolvimento de pesquisas integradas sobre os grupamentos municipais e regionais do Brasil, trabalhando eventualmente por metodologia comparativa com cidades do Mercosul e outras regiões do mundo. Maiores informaçõe: tel: (11) 4366-5824; norma.carvalho@metodista.br">norma.carvalho@metodista.br

MBA em Economia e Gestão das Organizações de Saúde na PUCSP
Com o objetivo de capacitar profissionais para compreender e gerir com eficácia as organizações de saúde no Brasil, será lançado em 2004 o curso de MBA em Economia e Gestão das Organizações de Saúde pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUCSP). O curso está organizado em seis módulos, com duas disciplinas cada um, e é voltado para profissionais de nível superior que trabalham ou já trabalharam em organizações de saúde privadas, públicas, filantrópicas não-governamentais e sociais de interesse público. As aulas iniciam em 3 de janeiro de 2004. Mais informações pelo site http://cogeae.pucsp.br


Formação do executivo dos novos tempos
Estão abertas as inscrições para a seleção do MBIS (Master Business Information Systems) – Executivo em Ciência da Computação, da área de Tecnologia da Informação da PUCSP. Este programa auxilia o profissional a conciliar conceitos e técnicas da informática a métodos de gestão. Mais informações no site www.mbis.pucsp.br

EBAPE no Grupo de Trabalho de Negociações Comerciais União Européia - Mercosul
O Prof. Yann Duzert participou do Grupo de Trabalho de Negociações Comerciais União Européia-Mercosul, organizado no Institut d Études Politiques de Paris (Sciences Po) no dia 23 de setembro. O encontro reuniu 130 convidados, entre eles: o Ministrop da Economia da Argentina, o Ministro do Comércio Exterior Francês, embaixadores e CEOs da União Européia e do Mercosul, o Presidente da Firjan e representantes da sociedade civil.

EBAPE no Fórum de Gestão Cooperativa de Empresas Estatais
O Prof. Enrique Saravia está representando a EBAPE no Fórum de Gestão Cooperativa de Empresas Estatais, convocado pelo Ministério de Planejamento, Orçamento e Gestão e integrado pelo Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Grupo Eletrobrás, Empresa de Correios e Telégrafos, Infraero e Petrobrás.
O objetivo do Fórum é promover uma maior integração entre as políticas do governo e a gestão das empresas estatais, bem como otimizar resultados, coordenando as ações das empresas.


Seminário Desafios do Protocolo de Quioto: Oportunidades e Obstáculos de suas implementação no Brasil
A Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas (Ebape), o Centro Internacional de Desenvolvimento Sustentável (CIDS-Ebape) e a Coordenação do MBA em Gestão Ambiental promoveram o seminário Desafios do Protocolo de Quioto: oportunidades e obstáculos de suas implementação no Brasil. O evento foi realizado no dia 4 de outubro, na Fundação Getúlio Vargas do Rio de Janeiro. Durante o encontro, os participantes discutiram a posição do Brasil como ator importante na implementação do Protocolo de Quioto, especialmente em relação aos mecanismos de desenvolvimento limpo (MDL). As apresentações do seminário estão disponíveis no site www.ebape.fgv.br/cids

Expo Management 2003
Seis professores da Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas (Ebape), da Fundação Getúlio Vargas, palestraram durante a Expo Management 2003. O objetivo do evento é apresentar aos executivos as melhores práticas de gestão de negócios. A Expo Management foi realizada de 3 a 5 de novembro, no Transamérica Expo Center, em São Paulo (SP).

Mestrado Profissional em Administração da FEAD
O curso de Mestrado Profissional em Administração da Faculdade de Estudos Administrativos de Minas Gerais (Fead) é o mais novo membro efetivo da Anpad. A recomendação foi feita na última reunião do Comitê Técnico-Científico da Capes.

Processo Seletivo 2004 da Uninove
O Mestrado Profissional em Administração do Centro Universitário Nove de Julho (Uninove-SP) divulgou a lista dos aprovados que participaram do processo seletivo para 2004. Os 266 candidatos foram avaliados através do Teste Anpad e entrevista para disputar as 20 vagas oferecidas. Outras informações e os resultados estão no site www.uninove.br.

Seminário da ALTEC 2003, México
O X Seminário da Associação Latinoamericana de Gestão Tecnológica (Altec) foi realizado de 22 a 24 de outubro, na Cidade do México. O professor José Matias Pereira, coordenador de Pós-Graduação em Administração da Universidade de Brasília e coordenador de Políticas Públicas da Enanpad, participou do evento e apresentou o trabalho "Lei de inovação tecnológica como instrumento de apoio à construção de um modelo tecnológico autônomo no Brasil". Para o professor José Matias, o evento da Altec, no México, confirma a importância de encontros dessa dimensão para o estreitamento de relações entre os pesquisadores que atuam nessa área na América Latina.
A Altec foi criada em 1984 com o objetivo de reunir pesquisadores e instituições para a reflexão e exercícios de Gestão Tecnológica, realizando atividades de cooperação nessa área. A principal missão desta instituição privada interncacional é promover o desenvolvimento sócio-econômico da América Latina e Ibero América através do aperfeiçoamento contínuo da Gestão Tecnológica.


Palestra no CEPPAD/UFPR
O professor Geert Hofstede, do Centro de Pesquisas Econômicas da Universidade de Tilburg, Holanda, estará visitando o Centro de Pesquisa e Pós-Graduação em Administração (Ceppad), da Universidade Federal do Paraná (UFPR), de 11 a 13 de novembro. Entre outras atividades, o professor Hofstede irá ministrar a palestra "Managing with Culture in Brazil".

Seminário de Pesquisa no MADE

A Coordenação do MADE, apoiando iniciativa da Coordenação de Pesquisa a partir de maio de 2002 e objetivando a melhoria e o desenvolvimento do ensino e da pesquisa do seu Programa de Mestrado, implantou as chamadas 'Quartas de Seminários de Pesquisas', realizadas no campus Presidente Vargas, localizado na Avenida Presidente Vargas, 642, Centro, Rio de Janeiro. A realização dos seminários de pesquisa do MADE busca criar um ambiente favorável ao encontro e intercâmbio de idéias entre os membros dos corpos docente e discente do MADE e de outras instituições de pesquisa. Esta iniciativa se concretizou através da realização de 20 seminários entre maio e novembro de 2002, quase alcançando a marca de um seminário por semana. A programação de seminários de pesquisa em 2003 está disponível, a qual sofrerá atualizações constantes ao longo do ano. Informações pelo e-mail mestradoadministracao@estacio.br">mestradoadministracao@estacio.br



O Ibmec São Paulo foi aceito como membro da EFMD
Em junho de 2007, o Ibmec São Paulo ingressou no processo de certificação do EQUIS – Certificação que  reconhece escolas de negócios no mundo – estabelecido pela EFMD – European Foundation for Management  Development, organização mundial que busca o contínuo desenvolvimento na área de gestão por meio do  intercâmbio de informações entre organizações e escolas.
Esta certificação ampliará a visibilidade da Escola no ambiente global, assim como o relacionamento  com o mundo corporativo.


FBV tem dos melhores cursos de contábeis do país

Acaba de sair a avaliação do Guia do Estudante da Editora Abril para os melhores cursos do país.
Em 2006 e 2007, o curso de Ciências Contábeis da Faculdade Boa Viagem (FBV) ficou com a classificação de três estrelas (Única instituição de Pernambuco em PE com estas classificação).
Agora a FBV alcançou a graduação de quatro estrelas, sendo que a nota máxima é cinco.
A avaliação coloca o curso como um dos melhores do país.




A quantas anda a produção acadêmica brasileira nos EnANPADs?

O EnANPAD 2003 mantém a trajetória de acentuado crescimento quantitativo dos últimos anos. Rompeu-se uma nova barreira com a submissão de 2.332 trabalhos, representando um incremento de 28% em relação ao congresso do ano anterior. Cerca de 630 trabalhos foram selecionados para apresentação e publicação integral nos anais do evento.

A escolha restrita a 27% dos trabalhos submetidos é seguramente rigorosa, mas necessária no atual estágio de desenvolvimento da área de administração e de contabilidade no país. O rigor, aparentemente excessivo, revela-se importante no sentido de demarcar um novo patamar de exigência de qualidade para a produção científica brasileira na área. Esse novo patamar de qualidade implica reconhecer a indispensabilidade de elevarmos a nossa produção acadêmica ao nível do padrão internacional, sem perder de vista as especificidades e a relevância do nosso contexto sociocultural.

Ao observarmos a evolução qualitativa dos trabalhos dos EnANPADs, nos últimos dez anos, verificamos que ela foi razoável. Ainda assim temos problemas de qualidade, como revelam de forma consistente as publicações sobre o estado da arte da nossa produção científica em diversos campos das ciências administrativas. Em poucas palavras: o aumento quantitativo não foi acompanhado por evolução qualitativa de mesmo diapasão.

Do ponto de vista quantitativo já constituímos uma comunidade sólida. Qualitativamente estamos em progresso. A própria eclosão de avaliações do estado da arte nos diversos campos da administração, em anos mais recentes, sucedendo às duas avaliações precursoras de 1988 (administração pública) e de 1990 (organizações), destaca uma inquietação mais coletiva e sistemática com o tema da qualidade. O crescimento quantitativo da área (em termos de trabalhos submetidos e selecionados, número de programas de mestrado e doutorado, dimensão do corpo docente e discente, e assim por diante) propicia bases mais efetivas para o debate sobre o tema da qualidade, uma vez que o aumento de massa crítica gera também a possibilidade de maior severidade qualitativa. Daí a necessidade de maior rigor no atual estágio em que nos encontramos.

Cabe assinalar, no entanto, que a dificuldade com nível de qualidade não é apenas nossa. É também de todos os congressos internacionais da área de administração, em maior ou menor grau. Mesmo os eventos de maior reputação mundial enfrentam o dilema de que a quantidade não se faz acompanhar da qualidade em proporção equivalente. Tendo em vista que a maioria deles apenas publica os resumos dos trabalhos, não é possível verificar a extensão do problema com a mesma propriedade de avaliação que se pode realizar com os EnANPADs. Além disso, em todos esses congressos está sempre presente o quase-impasse da relação entre teoria e prática.

Parece-me que a relação entre teoria e prática em nosso campo depende de encontrarmos criativas e substanciais soluções para duas primordialidades: significância internacional e contextualização sociocultural. Estou convencido de que uma não se efetiva, nem faz sentido, sem a outra. O conhecimento, em nossa área, torna-se universal não ao ser obrigatoriamente descontextualizado, mas sim pela utilização de quadros teóricos de referência substantivos e procedimentos metodológicos consistentes, adequadamente articulados e tratados com continuidade, visando ao atendimento da imprescindível condição cumulativa. Homogeneidade e diversidade não devem ser forçosamente opostas quando se articulam os planos teórico e metodológico com a aplicação contextualizada. Generalização e aplicação são faces da mesma moeda.

Para tanto, a primeira coisa que devemos fazer é parar de seguir modismos apenas por parecerem novidades - no mais das vezes não o são. Essa mania brasileira, já adequadamente abordada no tratamento da influência do estrangeirismo na literatura administrativa nacional, decorre de pelo menos dois equívocos medulares: a) modismos resolvem problemas práticos; b) por parecerem novidades atendem à desejada condição de originalidade da produção científica. Aqueles podem até soar bem em atividades de consultoria, principalmente quando são utilizadas palavras anglo-saxônicas, mas normalmente mais criam do que resolvem problemas práticos. Estes constituem uma abissal impropriedade de uso do conceito de originalidade, concretizando um desserviço para o necessário e relevante processo de construção e acumulação de conhecimento em nossa área.

Tenho observado, surpreendentemente, críticas desacertadas de falta de originalidade em trabalhos reconhecidos como sendo teórica e metodologicamente bem formulados, por tratarem de temas recorrentes, que resultam de esforços continuados de grupos de pesquisa. Em vez de se considerar a originalidade pelo tipo de construção ou corte teórico ou metodológico, ou, ainda, pela propriedade de aplicação, o conceito é tratado dominante e equivocadamente como sinônimo de pseudonovidade temática.

A segunda coisa que devemos fazer é valorizar os trabalhos de qualidade dos grupos que adotam e se mantêm consistentemente em linhas de pesquisa, com temas claramente definidos, visando à construção e acumulação de conhecimentos em nossa área, em conformidade com orientações decorrentes das duas exigências mencionadas anteriormente: inserção internacional e contextualização sociocultural.

É bem provável que o nosso calcanhar-de-aquiles seja o pequeno número de grupos de pesquisa, estruturados com abordagens e temáticas consistentes e duradouras, na meia-centena de programas recomendados pela CAPES, em nossa área. Há mais de uma década insiste-se, no âmbito da ANPAD, na absoluta necessidade de se valorizar os grupos existentes e estimular a criação e institucionalização de novos grupos como componentes essenciais para a elevação da qualidade dos nossos trabalhos científicos. A repercussão de tal advertência está longe de ser a esperada. Precisamos passar a criticar com tenacidade àqueles que pipocam de um tema para outro, com a rapidez com que se troca de camisa, visando a estar sempre na onda dos modismos, uma vez que atuam em direção contrária à vital urgência de decisivo aperfeiçoamento qualitativo da nossa produção científica.

A terceira coisa que devemos fazer é dedicar maior tempo para elaboração de nossos trabalhos. Trabalhos científicos consistentes demandam tempo. Tempo é elemento escasso na academia brasileira de administração, que se sente premida pela necessidade de apresentar produção em congressos e de publicar em anais e revistas, a par de atender à exigência de levar a efeito uma série quase infindável de outras atividades. Observa-se que muitos trabalhos foram apressadamente concluídos, a fim de atender à demanda de publicar contínua e intensamente. Muitos desses trabalhos, com melhor uso de critério e tempo, poderiam subir degraus nos patamares de qualidade.

Tempo também é variável que afeta o processo de seleção de trabalhos. Os avaliadores nas diversas áreas temáticas são pressionados a analisarem uma quantidade de trabalhos acima do razoável, em face do ainda pequeno quadro de revisores para o EnANPAD. A diretoria científica, juntamente com os coordenadores de temas, vem aumentando substancialmente o quadro de avaliadores nos últimos anos, mas ainda não se alcançou a proporção desejável. O ideal seria que cada revisor não recebesse mais do que cinco trabalhos para examinar, o que seguramente resultaria em comentários qualitativos mais detalhados, com potencial para beneficiar diretamente a melhoria do nível de qualidade da nossa produção científica. Contudo para se chegar a esse número ideal precisamos de mais profissionais com reconhecimento em seus respectivos campos de especialidade.

À variável tempo devemos adicionar a constatação de que divergências entre revisores são naturais, em face da questão do nível de concordância sobre padrões ou parâmetros para apreciação da qualidade da produção acadêmica. Apesar do uso de um esquema com dez critérios para exame dos trabalhos, todos eles respeitados pela comunidade científica internacional, há divergências de interpretação em relação a cada critério e sobre o peso relativo de cada um na avaliação como um todo. Portanto uma certa margem de erro é esperada pois é típica em eventos de qualquer academia da área.

A divergência entre revisores pode ser minimizada por meio de interação continuada entre pares, com destaque para o debate e a troca de idéias. Decorre daí a quarta coisa que devemos fazer: estimular e organizar esse tipo de interação nos diversos campos das ciências administrativas. Maior organização e articulação entre os acadêmicos que integram esses campos devem implicar, também, em utilização mais significativa de autores brasileiros em nossas atividades de ensino, pesquisa e produção acadêmica.

Não tenho dúvidas de que outras atitudes e ações podem e devem ser sugeridas. Todavia a adoção criteriosa destas quatro já significaria um gigantesco passo em direção à efetiva elevação da qualidade da nossa produção científica ao nível do padrão internacional.




Editora da Fundação Getúlio Vargas
Lançamento do livro Organizações, Instituições e Poder no Brasil, organizado pelos professores Marcelo Milano Falcão Vieira, da EBAPE/FGV, e Cristina Amélia Carvalho, do PROPAD/UFPE. Editora da Fundação Getúlio Vargas.

Unicid lança livro

Lançamento do livro Vox Dei, o Simbolismo do Orgão no Cristianismo Ocidental, do professor doutor Jorge de Morais Zacharias, do Programa de Mestrado em Administração da Universidade Cidade de São Paulo (Unicid).



Lançamento do livro
Lançamento do livro Propostas para uma gestão pública municipal efetiva, coordenado pelas Profas. Sylvia Vergara e Vera Correia (Editora FGV), da EBAPE/FGV/R.

Latin American Business Review
A Latin American Business Review (LABR) é um periódico científico quadrimestral, escrito em inglês e orientado para questões sobre desenvolvimento de negócios, administração, integração regional, micro-empresas, indústrias, questões interculturais, política comercial e mercados financeiros das Américas. A LABR é publicada pela editora comercial Howard Press em Binghamton, New York, como fruto de parceria entre o Instituto Coppead de Administração da UFRJ (Brasil), o Instituto Tecnológico y de Estúdios Superiores de Monterrey de la Escuela de Graduados en Administración y Dirección de Empresas (México) e a School of Business Administration at the University of San Diego (Estados Unidos). Outras informações estão no site http://egade.sistema.items.mx/labr.

Revista de Pós-Graduação da Unimonte
A Revista de Pós-Graduação da Unimonte, sob a direção editorial do professor e mestre Danilo Nunes, pró-reitor de Pós-Graduação e Pesquisa, nasceu com a perspectiva de construção e continuidade de um espaço de produção científica, constituído a partir da investigação, do debate e das atividades relacionadas ao espírito universitário da instituição.

Revista de Administração Contemporânea - RAC
A Revista de Administração Contemporânea passou a circular com cinco edições anuais a partir de 2003. Destaca-se, também, a possibilidade de acesso e download de todos os artigos publicados desde a primeira edição em 1997 até o número de agosto de 2001, através do site da ANPAD. A defasagem, que será sempre de dois anos, visa a preservar a assinatura da RAC.

Aguarde
Aguarde: esta página será disponibilizada em breve