Pesquisar
Pesquisa Avançada

Informativo 20/Jul - Ago - Set/2008


O desafio da publicação internacional em Administração

Poucos países fora do eixo América do Norte-Europa têm uma academia em Administração tão desenvolvida como o Brasil. É só observar o número de acadêmicos que circulam anualmente na ENANPAD, e a crescente quantidade e qualidade dos nossos periódicos nacionais.  Ainda assim, uma inspeção casual nos principais periódicos internacionais de Administração e áreas correlatas revela que poucos projetos de pesquisa realizados no Brasil acabam efetivamente atingindo uma audiência internacional.

Mas por que isso importa?  Dado que temos um grupo local tão desenvolvido, por que nos preocuparmos se o que fazemos aqui está ecoando em outros grupos no exterior?

Bruno Latour, em seu maravilhoso livro Science in Action, explicita um fato cruel, mas absolutamente real: “… muitos artigos não são ao menos lidos.  Não importa o que um artigo tenha feito à literatura prévia, se ninguém mais fizer algo com ele, é como se não nunca tivesse existido” (p. 40).  Podemos e devemos dialogar entre nós mesmos, mas se não fizemos um esforço para que nosso trabalho seja percebido por outros grupos que participam ativamente no avanço do conhecimento das nossas áreas, então só nos restará esperar e lamentar ao ver que o fizemos não foi usado em desenvolvimentos subseqüentes da literatura.  Será uma pena, pois realmente muitos projetos interessantes estão sendo realizados no nosso contexto.

Como poderemos evitar esta situação e participar ativamente da dinâmica de expansão da literatura de forma mais abrangente (leia-se: além de nossas fronteiras)?  A má notícia é a seguinte: cada vez mais, acadêmicos têm menos tempo para ler os diversos periódicos disponíveis, e a maioria restringe sua atenção a um grupo de periódicos que são percebidos como de maior prestígio – na sua maioria, periódicos internacionais com alto índice de impacto de citações (impact factor).  Um estudo recente* revelou que, de longe, o fator que mais explica o número de citações que um artigo recebe é o prestígio internacional do periódico no qual foi publicado. 

A implicação de tudo isso é que, se quisermos de fato contribuir para o avanço do conhecimento em Administração de uma forma consistente, duradoura e com máximo de abrangência, precisaremos, necessariamente, intensificar nossos esforços para que nossos projetos sejam percebidos e utilizados por acadêmicos não só no Brasil, mas também no exterior.  Em termos concretos: precisamos aumentar a participação de acadêmicos brasileiros em periódicos de alto impacto internacional.

Aí vem outra má notícia: publicar nestes periódicos é, cada vez mais, um processo desgastante e demorado.  O volume de artigos submetidos e rejeitados pelos editores destes periódicos é imenso e vem crescendo.  Os revisores destes periódicos são muitas vezes pouco permeáveis a teorias ou abordagens metodológicas que fogem do mainstream.  Além disso, apesar da maioria dos acadêmicos brasileiros ser fluente em inglês, o estilo de redação nestes periódicos tem idiossincrasias geralmente difíceis de serem assimiladas em um primeiro momento.  Simplesmente escrever um artigo em português e depois traduzi-lo ao inglês muitas vezes não dá certo.  E, como se não bastasse, o elevado ciclo entre a submissão e a publicação final (em diversos casos, superior a 4-5 anos) coloca um pesado fardo ao acadêmico nacional, cujos programas de pós-graduação precisam fazer “pontos de pesquisa” anuais, segundo os critérios de avaliação da CAPES.

Face a este emaranhado de dificuldades, uma reação natural pode ser: vamos esquecer então estes periódicos internacionais, e direcionar nossos esforços apenas para a nossa comunidade.  Porém, como colocamos anteriormente, podemos reduzir substancialmente o impacto dos nossos esforços se não nos esforçarmos para que nossos trabalhos efetivamente chamem a atenção e sejam usados para um público mais amplo.  Mais ainda, continuaremos perdendo grandes oportunidades de efetivamente contribuir para o avanço da literatura. 

Por exemplo, diversos autores nos Estados Unidos e no Leste Asiático exploraram a simples idéia de que estratégias que dão certo em países desenvolvidos podem falhar em outros contextos devido à sua inadequação a fatores institucionais locais.  Uma ampla literatura surgiu, especificamente, para explicar a importância e o efeito do chamado guanxi – relacionamentos de confiança estabelecidos por meio de contatos gerados e nutridos ao longo do tempo.  Estabelecer uma operação em um país intensivo em guanxi sem ter um ou mais parceiros próximos com elevada influência local pode ser inviável. Mas isso é exatamente o que estudiosos do contexto brasileiro como Sérgio Buarque de Holanda, Raymundo Faoro, Roberto DaMatta, etc. nos ensinaram há um bom tempo!  Nós, acadêmicos brasileiros, poderíamos ter ajudado a direcionar o debate na literatura internacional de Administração ao usar estes autores para fazer este ponto simples: relacionamentos importam, e podem substancialmente alterar a eficácia de determinadas estratégias.  Vale para o Brasil, vale para a China, e vale para tantos outros países com traços culturais similares ou que não têm instituições formais desenvolvidas (tais como leis impessoais e aplicadas a baixo custo).

Aqui vem, finalmente, a boa notícia: diversas outras possibilidades de avanço devem existir nesta mesma linha.  O interesse internacional pela experiência do Brasil em saúde, energia e agronegócios, por exemplo, é crescente.   Os diversos casos de corrupção encontrados no nosso contexto também podem ser um material fértil (pelo menos no âmbito acadêmico…) para contribuirmos com a pujante literatura sobre relações entre entidades públicas e privadas – um tema que também se aplica a vários outros países em desenvolvimento.  A evolução recente do nosso mercado de capitais é admirável e convida a uma maior documentação científica. Com o volume e a qualidade de docentes e estudantes de pós-graduação no Brasil, certamente idéias de impacto não faltarão.

Em suma: temos material, temos capital humano, e temos motivação.  Simplesmente acompanhar de forma passiva os desenvolvimentos teóricos e empíricos conduzidos no exterior para depois aplicar e/ou refinar em discussões apenas dentro do nosso contexto local continuará sendo uma perda de oportunidades efetivas de contribuição.  É o nosso momento de galgar mais um grande degrau, explorando nossos diferenciais para entrar de forma definitiva no circuito internacional de expansão do conhecimento em Administração. 

* Judge, T. A.; Cable, D. M.; Colbert, A. E.; Rynes, S. L.  “What causes a management article to be cited—article, author, or journal?” Academy of Management Journal, 50(3): 491-506, 2007.

Sérgio Lazzarini
Professor Associado e Diretor Acadêmico do Ibmec São Paulo
sergiogl1@isp.edu.br">sergiogl1@isp.edu.br




Curso de Administração Pública Eficaz 2008/2009
Escola de Administração da UFRGS oferece o curso na modalidade à distância, está reconhecido pelo MEC desde 2002, e pode ser cursado a partir de qualquer lugar do Brasil.
Quase 100% dos professores têm a titulação máxima de doutores, com profundos conhecimentos nas matérias enfocadas.
Inscrições até 31 de julho de 2008
www.ea.ufrgs.br/pos


XV Encontro latino-Americano de Administração - ENLA e V Congresso Mundial de Administração
De 03 a 06 de setembro de 2008
Centro de eventos Plaza San Rafael
Porto Alegre/RS
Inscrições abertas
www.enla.com.br


I Prêmio Varejo Sustentável
Wal Mart Brasil
São Paulo/SP
Inscrições até 29 de agosto de 2008
www.premiovarejosustentavel.com.br/Default.aspx


III Seminário Interinstitucional de Pesquisa em Administração

UFSM | UCS | UFRGS | PUCRS
22 e 23 de agosto de 2008
Santa Maria/RS
Inscrições abertas
http://w3.ufsm.br/sipad/index.php?pag=principal



XV Congresso Brasileiro de Custos
De 12 a 14 de novembro de 2008
Centro de Eventos do Sistema FIEP
Curitiba/PR
Inscrições a partir de 18 de agosto de 2008
www.congressodecustos.com.br


Seminário de Políticas Públicas Culturais

28 de julho de 2008
Pavilhão Reitor João Lyra Filho
Auditório 11 (1° andar) / Bloco F
Universidade Estadual do Rio de Janeiro/UERJ
Rio de Janeiro/RJ
A partir das 14h

O crescimento da importância das indústrias na determinação dos índices de crescimento econômico e o aumento do tempo de lazer propiciado pela implantação de novas tecnologias de comunicação e informação no mundo do trabalho, motivou a UERJ a qualificar gestores públicos da área de Cultura, para o desenvolvimento sem precedentes da produção cultural.

Desde 1986, com a criação da Lei Sarney e a posterior implantação, em 1991, de sua substituta, a Lei Rouanet, o debate sobre o fomento à Cultura vem se tornando cada vez mais decisivo para a preservação de tradições locais e a promoção de diálogos intelectuais que, ao mesmo tempo, preservam e expandem os patrimônios material e imaterial.

Com os novos rumos de iniciativas de valorização cultural, a Comissão Estadual de Gestores de Cultura do Rio de Janeiro – COMCULTURA/ RJ – buscou , em 2002, a UERJ, por intermédio do Departamento Cultural da Sub-Reitoria de Extensão e Cultural/SR-3 para criar o “Seminário Permanente Políticas de Cultura do Estado do Rio de Janeiro”.

O Seminário, com os seus 6 anos de existência, já qualificou mais de setecentos trabalhadores de cultura, entre gestores, técnicos e arte-educadores. Neste período, mais de duzentos encontros foram realizados, como: palestras, debates, visitas guiadas, os quais totalizam mais de quinhentos e quarenta horas de atividades. Além disso, foram produzidas três publicações e formuladas outras iniciativas que permitiram a consolidação de dados sobre a produção cultural no Estado do Rio de Janeiro, como o mapeamento inédito das ações culturais desenvolvidas por mais de oitenta municípios.

Mais informações e inscrições: nacif@uerj.br">nacif@uerj.br



Seminário Internacional: Avaliação e Gestão Pública: conexões entre o conhecimento e ação
10 e 11 de agosto de 2008
Auditório do BDMG
Rua da Bahia 1600
Belo Horizonte/MG
Fundação João Pinheiro / Escola de Governo Prof. Paulo Neves de Carvalho
INPAE (Inter-American Network of Public Administration Education) / NASPAA (National Association of Schools of Public Affairs and Administration)

As políticas públicas e, principalmente, as políticas sociais exigem uma presença central da avaliação como instrumento básico de gestão. Nas políticas sociais, onde a complexidade dos problemas é ampla e as tecnologias para enfrentá-los são mais "brandas", a produção e o uso da informação são recursos estratégicos para viabilizar uma gestão social com maiores níveis de efetividade. Nem sempre esse diálogo entre a pesquisa avaliativa e a prática nas políticas sociais se processa de forma adequada, o que gera um distanciamento entre os avaliadores/pesquisadores e os gestores e, no limite, uma incompreensão acerca do papel da avaliação e do seu caráter estratégico no campo das políticas sociais. É em torno dessas questões que o seminário se estrutura, buscando levantar elementos que permitam elucidar os limites e as possibilidades para uma conexão mais efetiva entre a teoria e a prática a partir da avaliação de resultados na gestão social.


Open Day da Escola de Negócios trará palestras sobre cursos e estrutura

18 e 25 de junho
02, 09, 16 e 23 de julho
Bloco Amarelo - sala 219
19h às 20h30, com intervalo para coffee break
Universidade Positivo
Curitiba/PR
Palestras gratuitas

Durante seis quartas-feiras, coordenadores dos cursos de Administração, Ciências Contábeis, Comércio Exterior, Economia, Marketing e Turismo ministrarão palestras sobre projetos, estrutura, professores e diferenciais. Os participantes terão a oportunidade de conhecer a Universidade Positivo, saber mais sobre a Escola de Negócios e esclarecer todas as dúvidas.

Os interessados devem confirmar presença pelo telefone (41) 3317-3414.



Congresso Internacional de Administração - Gestão Estratégica na Era do Conhecimento
De 08 a 12 de setembro de 2008
Ponta Grossa/PR
Inscrições abertas


Fundamentos da Administração Pública

De 01 de agosto de 2008 a 30 de agosto de 2009
Universidade Federal de Viçosa/UFV
Campus de Florestal
Viçosa/MG
Informações: 3536.2266 ramal 2127



VI Workshop Internacional de Tendências do Cooperativismo - Estratégias de Internacionalização de Negócios das Cooperativas de Crédito
08 e 09 agosto de 2008
Ribeirão Preto/SP
www.fundace.org.br/wscooperativismo/portugues/index.php


V Encontro de Pesquisadores Latino-americanos de Cooperativismo
De 06 a 08 agosto de 2008
Ribeirão Preto/SP
Inscrições abertas
Rede Latino-americana de Pesquisadores em Cooperativismo
Comitê de Pesquisa da Aliança Cooperativa Internacional
www.fundace.org.br/pesquisa_ica_la_2008/portugues/index.php


2º Congresso UFSC de controladoria e finanças e 2º Congresso UFSC de Iniciação Científica em Contabilidade

De 08 a 10 de outubro de 2008
Centro de Cultura e Eventos da UFSC
Departamento de Ciências Contábeis da UFSC
Florianópolis/SC

Submissões abertas
www.ccn.ufsc.br/congresso
congresso@cse.ufsc.br">congresso@cse.ufsc.br
depccn@cse.ufsc.br">depccn@cse.ufsc.br
(48) 3721-9383 e 3721-6620



Pricing no Varejo: Estratégias e Desafios
31 de julho de 2008
Das 08:30 às 13:00
Fundação Getúlio Vargas/FGV-EAESP
Salão Nobre
São Paulo/SP
Inscrições abertas
www.eaesp.fgvsp.br


Seminário GVcev - Produtos e Serviços Financeiros no Varejo
20 de agosto de 2008
Das 08:30 às 13:00
Fundação Getúlio Vargas/FGV-EAESP
Salão Nobre
São Paulo/SP
Inscrições abertas
www.eaesp.fgvsp.br


1º Prêmio Dow de Sustentabilidade

O 1º Prêmio Dow de Sustentabilidade foi criado para premiar a contribuição da comunidade científica brasileira em temas relacionados com as Metas de Sustentabilidade da The Dow Chemical Company para 2015.

Categorias e prêmios:
Categoria Doutorado: R$ 15.000
Categoria Mestrado: R$ 10.000
Categoria Graduação: R$ 5.000

Mais informações: www.premiodow.com.br



II Seminário de Administração sobre Gestão na Modernidade

29 de maio de 2008
A partir das 20:00h
Faculdade Social da Bahia/FSBA
Auditório do Colégio ISBA
Salvador/BA

Temas:
- Desenvolvimento Sustentável - Profª. Ósia Alexandrina Vasconcelos (Mestre em Administração pela Universidade Federal da Bahia)
- RSE - Responsabilidade Social Empresarial - Srª Eraly Alves (Engenheira de Meio Ambiente da Petrobrás)



Prêmio do Departamento de Coordenação e Controle das Empresas Estatais (DEST) de Monografias

A quarta edição do Prêmio DEST tem como novidades o aumento dos valores pagos, que passam a ser de R$ 20 mil para o primeiro colocado, R$ 10 mil para o segundo e R$ 5 mil para o terceiro e a ampliação e atualização dos temas da 2ª e 3ª edições do prêmio.

Os temas definidos para a edição deste ano do prêmio são:  a questão do estatuto jurídico das empresas estatais; governança corporativa nas empresas estatais; empresas estatais, desenvolvimento sustentável e políticas públicas no Brasil; o papel dos órgãos de coordenação e controle das empresas estatais; experiências internacionais de órgãos de coordenação e controle das empresas estatais.

Para participar, os interessados não precisarão se inscrever, apenas enviar os trabalhos até o dia 31 de outubro de 2008. A participação é aberta para a toda a população, exceto para os servidores em exercício no DEST, na ENAP e os integrantes da banca examinadora.

Os trabalhos deverão ter de 30 a 60 páginas e poderão ser realizados individualmente ou em grupo e o candidato deverá ficar atento às regras de envio descritas no regulamento publicado no site para que não seja desclassificado. A data de divulgação dos ganhadores ainda será definida delo DEST.

O prêmio é realizado há quatro anos e tem o objetivo de estimular a pesquisa das empresas estatais brasileiras, seus problemas e desafios. O endereço para envio dos trabalhos é:
Prêmio DEST/MP
Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão
Departamento de Coordenação e Controle das Empresas Estatais
Esplanada dos Ministérios, Bloco K, 8º andar
CEP: 70.040-906 - Brasília - DF

Mais informações no site: www.planejamento.gov.br/premiodest.htm




Professora da EA/UFRGS no XXVI Seminário de Extensão Universitária da Região Sul ? SEURS

A UFRGS participará do XXVI Seminário de Extensão Universitária da Região Sul – SEURS através da apresentação de 18 Ações de Extensão, sendo cinco na modalidade de Apresentação Oral, dez em Apresentação de Pôster e três apresentações na Mostra Áudio-Visual.

A Pró-reitoria de Extensão selecionou 18 Ações de Extensão para participar do Seminário. Entre as ações de extensão selecionadas, a da Prof. ROSINHA DA SILVA MACHADO CARRION, da EA/UFRGS, intitulada “RESIDÊNCIA SOLIDÁRIA: SUSTENTABILIDADE DO RE-CICLO”, na modalidade de Apresentação Oral.

O evento será realizado em Maringá/PR, no período de 21 a 23 de agosto de 2008 com o tema “Extensão: Educação e Cultura”.



Teste Anpad

Estão abertas as inscrições para o teste Anpad, da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração. O exame de proficiência, que acontece nos meses de fevereiro, junho e setembro, é parte indispensável no processo seletivo dos principais cursos de mestrado e doutorado em Administração e em Ciências Contábeis do Brasil.

Aplicado simultaneamente em 34 cidades do país no dia 14 de setembro, o teste é composto por cinco provas: raciocínio lógico, raciocínio quantitativo, português, inglês e raciocínio analítico. Os inscritos podem ter cursado ou estar cursando a graduação em qualquer área de conhecimento. O teste é válido por até 2 anos.

As inscrições poderão somente ser efetuadas via internet pelo endereço www.anpad.org.br/teste até o dia 29 de agosto. Os candidatos que desejarem concorrer à seleção do mestrado em Administração da Unifor devem se inscrever no teste. Mais informações pelo telefone 3477.3229 – curso de mestrado em Administração da Unifor – ou pelo endereço eletrônico www.anpad.org.br.



Senac São Paulo marca presença no CONARH 2008

O Senac São Paulo estará presente, com um estande, na 34ª edição do CONARH - Congresso Nacional sobre Gestão de Pessoas, que irá ocorrer entre os dias 19 e 22 de agosto, na Transamérica Expo Center, em São Paulo.

Promovido pelo Sistema Nacional da Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH), o evento é o maior e mais importante congresso brasileiro desse setor. Anualmente, profissionais e organizações de todo o País prestigiam sua programação, que esse ano oferece espaços de discussão e palestras com especialistas nacionais e internacionais.

Paralelamente ao CONARH, acontecerá também a EXPO ABRH, a maior vitrine de oportunidades, inovações e tecnologias para Gestão de Pessoas do Brasil.



Pós em Gestão de Cooperativas em destaque
O Curso de Pós-Graduação em Gestão de Cooperativas, coordenado pelos Departamentos de Estudos da Administração e de Economia e Contabilidade da UNIJUÍ, foi destaque no Jornal O Interior, edição de número 990, de junho. “O Interior” é considerado o mais importante Jornal do Cooperativismo Gaúcho, e o Curso de especialização é desenvolvido por meio de convênio entre UNIJUÍ e SESCOOP/RS, com apoio das cooperativas da região. O jornal, na sua íntegra, pode ser acessado também no endereço: http://www.ocergs.com.br/

III Ciclo de Palestras FBV

A Faculdade Boa Viagem realizou nesta terça-feira (08/07) o III Ciclo de Palestras. Estudantes e profissionais foram conferir as palestras que aconteceram simultaneamente no Espaço Executivo da FBV, no bairro da Conde da Boa Vista, às 19h30. A entrada para o evento foi um quilo de alimento não perecível que será doado para a comunidade Forte do Brum, no Recife Antigo.

Os cursos abordados foram: Gestão em Marketing, ministrada pelo professor Jadailton Santana; Gestão de Pessoas, ministrada pela professora Maria Piedade Azevedo; Logística, com a professora Inês Santos; Gestão Hospitalar, ministrada pela professora Cristiana Acevedo; Gestão Financeira ministrada pela professora Ana Paula Ferreira e Gestão de Negócios que teve como palestrante a professora Manuela Gueiros.

As palestras tinham como objetivo apresentar aos estudantes informações que ajudem na escolha profissional, como também aos profissionais que já estão no mercado de trabalho adquirir experiência. Pollyana Boumann participou da palestra de Gestão Financeira representando a empresa Sodexho Pass e comentou sobre o que viu. “Este tipo de evento é importante porque nos dá a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre o curso, já que a empresa tem um grande interesse em agregar conhecimento aos seus funcionários, além de melhorar meu currículo”, completou Pollyana.

Segundo Cristiana Acevedo, professora do curso de Gestão Hospitalar, a escolha profissional é um processo importante. “A palestrar serve justamente para essas pessoas conhecerem um pouco mais do que vão encontrar pela frente se escolherem este curso. Hoje o Recife é o segundo maior pólo de saúde do Brasil o que significa que o Estado tem uma demanda grande de profissionais”, comentou a professora.

O comentário da professora explana bem o que a estudante Maria Emília, 27 anos, presenciou. Convidada por uma amiga, ela não tinha interesse por esta área, mas com a palestra ela pôde abrir novos horizontes e visualizar uma profissão que não conhecia muito bem. “Vim convidada e não sabia que a área de gestão hospitalar tinha uma demanda tão grande de profissional”.

A palestra de Logística com a professora Inês Santos ressaltou sobre a importância da área e quais as perspectivas para o mercado de trabalho local. “Logística é responsável pela movimentação e armazenamento de materiais, visando otimizar o sistema com um todo,” explicou a professora. Durante a palestra, a professora falou também no crescimento da indústria no Estado de Pernambuco e que, com a criação da refinaria do Porto de Suape, a procura por profissionais capacitados aumentará.

A professora de Gestão de Negócios, Manuela Gueiros, falou ainda sobre a importância desse tipo de evento promovido pela FBV. “É uma oportunidade muito grande para as pessoas que participaram terem um contato mais íntimo com a instituição, tanto no aspecto da estrutura física quanto no que diz respeito aos profissionais que a compõe.”

Leonardo Lourenço, funcionário do Departamento de Marketing da FBV e coordenador do Ciclo de Palestras, falou sobre o evento. “Ficamos satisfeitos, pois tudo aconteceu conforme planejado. A cada ano o evento vem crescendo e esse sucesso é, sem dúvida, fruto de planejamento e de muito trabalho em equipe. Estou recebendo na minha caixa de e-mails vários tipos feedbacks dos participantes e palestrantes que sem dúvida são de grande relevância para o que foi feito e para o será realizado para os próximos eventos. Gostaria de agradecer mais um a vez a toda a equipe e a todos os participantes”, concluiu o coordenador do evento.



Professora da FBV tem projeto aprovado pela CAPES

A coordenadora do Mestrado em Administração da Faculdade Boa Viagem, professora Sônia Calado Dias, teve o projeto intitulado “Proposta e Validação de um Modelo de Dignidade Organizacional” aprovado pela CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior).

O projeto deverá ser executado em quatro anos e recebeu recursos financeiros. “É motivo de orgulho para a FBV ter um projeto de tal porte aprovado, em especial, em um Mestrado que é tão recente”, afirmou Lúcia Barbosa, professora e coordenadora de Pós-graduação da FBV.

A Capes atua na consolidação e expansão da pós-graduação stricto sensu em todo o país. O sistema de avaliação serve de instrumento para comunidade universitária na busca de um padrão de excelência acadêmica para os mestrados e doutorados nacionais. Os resultados da avaliação servem de base para a formulação de políticas para a área de pós-graduação. (Fonte: site da CAPES)

* Stricto sensu significa sentido estrito e refere ao nível de pós-graduação que titula o estudante como mestre e doutor em um campo de conhecimento determinado. É mais específico do que o lato sensu.



Mini-curso "La organización en el proyecto moderno" que será ministrado pelo Prof. José Ignacio López Soria
O CPGA tem o prazer de convidar a comunidade acadêmica para o mini-curso "La organización en el proyecto moderno" que será ministrado pelo Prof. José Ignacio López Soria, Diretor do Escritório Regional da Organização dos Estados Ibero-americanos em Lima. O curso será realizado nos dias 9, 10 e 11 de junho de 2008, das 9 às 12 horas, na sala 202 do CPGA. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas na secretaria do CPGA até 05 de junho de 2008.

Professor da EBAPE apresenta pesquisa na Turquia

Entre 23 e 27 de junho, o Prof. Enrique Saravia, da EBAPE, representou a Escola na 4ª.Conferência Internacional do Instituto Internacional de Ciências Administrativas - IIAS, realizada em Ankara, na Turquia. A conferência, organizada em conjunto com o Todaie - Instituto de Administração Pública da Turquia, teve como tema "Cooperação Internacional e Administração Pública".

O trabalho apresentado pelo Prof. Enrique, que foi debatido em sessão plenária, trata de "Governança e Cooperação Internacional: O papel das potências emergentes".



EBAPE apresenta trabalhos na 12th International Schumpeter Society Conference

A EBAPE apresentou dois trabalhos na prestigiada 12th International Schumpeter Society Conference que, em 2008, tomou lugar no Rio de Janeiro de 2 a 5 de Julho.

Os trabalhos apresentados foram:
- "Creativity on the 'Destruction' Side: Outcomes of Innovation Capability Building for Operational and Environment Performance in Latecomer Process-intensive Industries: Evidence from Brazil's Pulp and Paper", co-autoria de Prof. Paulo N. Figueiredo e Saulo Gomes;
- "Enterprise-centered Knowledge Networks and Technological Capability Building: Evidence form the ICT-related industry in Brazil" , co-autoria de Klauber N. Brito, Rosilene F. Andrade e Paulo N. Figueiredo.

Os dois trabalhos derivaram de projetos de pesquisa realizados no âmbito do Programa de Pesquisa em Gestão da Aprendizagem Tecnológica e Inovação Industrial no Brasil, da EBAPE/FGV, coordenado por Paulo N. Figueiredo.



Diretor da EBAPE profere palestra de abertura em Fórum na Colômbia

A Escuela Superior de Administración Pública (ESAP), da Colômbia, por ocasião da comemoração de seu cinqüentenário, realizou em 26 de junho o Foro Internacional de Administración Pública. O evento ofereceu a representantes da Administração Pública e a comunidade acadêmica reflexões sobre o desenvolvimento e tendências contemporâneas da Administração Pública, nos campos econômicos e organizacionais.

O Prof. Bianor Cavalcanti, Diretor da EBAPE, ministrou a palestra de abertura do evento, sobre Organizações Públicas na América Latina.

A Escola foi criada para modernização do aparato estatal colombiano, a partir de estudos elaborados por comissões internacionais, como por exemplo do Governo francês e de fundações privadas como Ford e Kellogs, que buscavam identificar necessidades da população daquele país e suas correspondentes soluções.



Professor da EBAPE é convidado a participar do Program Committee do ICEGOV 2008 no Cairo

O Professor Luiz Antonio Joia da EBAPE, coordenador do e:lab - Laboratorio de Governo e Negocios Digitais, foi convidado por Tomasz Janowski da United Nations University e Theresa Pardo do Center for Technology in Government da State University of New York at Albany, New York, program co-chairs da International Conference on Theory and Practice on Electronic Governance, ICEGOV 2008, a fazer parte do Program Committee do citado evento. A conferencia, patrocinada pelo Ministerio de Desenvolvimento Gerencial do Egito, United Nations University, UNDESA e German University in Cairo, se realizara' de 1 a 4 de dezembro de 2008 no Cairo. Egito. A conferencia tem como seus co-chairs Guido Bertucci (Department of Economic and Social Affairs - United Nations) e Ekwow Spio-Garbrah (Commonwealth Telecommunications Organisation).



O GVPEC - Programa de Educação Continuada para Executivos está com as inscrições abertas para o segundo semestre de 2008.

São mais de 70 cursos distribuídos em 16 áreas de conhecimento: Administração Geral e Estratégia; Administração da Saúde; Comunicação; Economia; Finanças, Controladoria e Gestão Tributária; Gestão Ambiental; Gestão Imobiliária; Gestão de Pessoas; Logística e Operações; Marketing e Vendas; Métodos Quantitativos; Negócios Internacionais e Comércio Exterior; Sustentabilidade; Tecnologia de Informação; Terceiro Setor e Varejo.

Para o segundo semestre de 2008, o programa abrigará mais oito novos cursos: Administração da Inovação; Gestão Ambiental Empresarial; Economia do Meio Ambiente e seus Impactos nas Empresas; Desafios Estratégicos de Marketing para o Setor de Saúde; Agronegócios: Economia e Gestão do Setor Sucroalcooleiro; Microfinanças, Microcrédito e Serviços Financeiros para Baixa Renda; Gestão de Operações e Redes: Novas Fronteiras; Como Vender Mais e Melhor.

Os cursos Estratégias para Recuperação de Empresas, Gestão e Comunicação de Crises e Economia Empresarial retornaram para o elenco do GVPEC.

O GVPEC possui também programas de especialização: os cursos Especialização em Gestão de Sustentabilidade e Especialização em Varejo são ministrados em quatro semestres, o que garante a certificação de especialização Lato Sensu ao aluno que concluir seqüencialmente o programa.

No início do ano o GVPEC agregou às atividades desenvolvidas pelo IDE - Instituto de Desenvolvimento Educacional da Fundação Getulio Vargas em âmbito nacional. Com essa sinergia entre os programas de São Paulo (EAESP - Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas) e Rio de Janeiro, a expectativa é que a instituição fortaleça sua estrutura global por meio da valorização e preservação da história e identidade de cada uma de suas escolas.

Com a meta de perpetuar sua tradição e reconhecimento internacional, a FGV-EAESP continuará a ter como foco uma linha de atuação que garanta a qualidade de ensino. O GVPEC, portanto, continuará com a mesma importância e abrangência, além de contar com professores que possuem vasta experiência e reconhecimento, reafirmando um de seus grandes diferenciais: a expertise que o identifica.

Os programas do GVPEC têm como objetivo atender às necessidades de capacitação e atualização de executivos e gestores, combinando o melhor dos universos profissional e acadêmico. Os cursos utilizam técnicas modernas e empregam uma ampla gama de recursos em educação continuada. O GVPEC, que existe desde 1953, conta com a experiência profissional de 300 professores titulados no Brasil e no exterior.

Mais informações pelo telefone (11) 3281-7777 ou pelo site www.fgv.br/ide/gvpec.



FGV promove concurso internacional de planos de negócio

Equipe vencedora representará a América Latina na competição mundial, que acontece na Universidade do Texas, em Austin (EUA)

O Centro de Empreendedorismo e Novos Negocios da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (FGV-EAESP) promove, de 5 a 7 de março, o FGV Latin Moot Corp 2008 - International Business Plan Competition, que reúne alunos de pós-graduação e MBA das mais renomadas escolas de Administração de Empresas de países de língua latina.

Neste ano estão confirmadas doze equipes, sendo nove nacionais e três internacionais (Argentina, Costa Rica e Canadá). Os participantes apresentarão um plano completo de negócio, consolidando todas as informações para estruturação ou abertura de um novo empreendimento.

Em sua 8ª edição, a competição distribuirá mais de US$ 17 mil em premiações e contará com algumas novidades. O evento começa no dia 5 de março com uma rodada de feedback para os times participantes e na manhã seguinte, durante a abertura oficial, acontece a Venture Showcase, uma feira na qual os alunos apresentarão seus projetos para o público em geral. No período da tarde começa a competição com três divisões, sendo quatro apresentações em cada uma. A equipe ganhadora de cada divisão vai automaticamente para a final, que acontece no dia 7 de março. Os segundos colocados de cada divisão participam de uma semifinal, cujo vencedor também será classificado para a final.

A equipe vencedora será a representante oficial da Competição na Global Moot Corp® Competition 2008, que ocorrerá no final de abril na Universidade do Texas, em Austin (EUA), concorrendo ao prêmio de US$ 100 mil. Outra novidade é que a segunda colocada será convidada para participar da Stuart Clark Business Plan Competition, da Universidade de Manitoba (Canadá), no final do mês de março.

Com patrocínio do Banco Real, Sebrae–SP, Votorantim Novos Negócios e do Escritório de Advocacia Demarest & Almeida, a iniciativa contará com a participação das seguintes instituições de ensino: Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (FGV-EAESP), IBMEC São Paulo, Universidade Federal do Ceará, Universidade Federal de Pernambuco, Mackenzie, Escola Politécnica (USP), UNICAMP, PUC São Paulo, Universidade de Salvador (UNIFACS), Escuela de Direccion y Negócios de La Universidad Austral (IAE – Argentina), INCAE Business School (INCAE – Costa Rica) e Universidade de Manitoba (Canadá).



Revista ?GV-executivo? passa por processo de reformulação editorial e fala sobre carreiras

"GV-executivo", revista da GV focada na área de administração de empresas, trata de carreiras e inicia 2008 com nova aparência.

A alteração do projeto gráfico é o aspecto mais visível de um processo de reformulação editorial iniciado no segundo semestre de 2007, com o objetivo de aproximar a revista do leitor. Novas seções, redução no tamanho de matérias e uma linguagem mais leve e ágil são algumas das mudanças.

Do projeto editorial original mantém-se o propósito de aliar conhecimento consistente, relevância, rigor e bom humor. A intenção de integrar cultura geral e entretenimento aos temas de gestão também permanece.

Nesta edição, focada em carreiras, são apresentadas duas colunas e novas seções. Enquanto a coluna Aldeia tem o objetivo de analisar temas locais, a Projeto de vida, trata de assuntos relacionados à carreira e desenvolvimento profissional. Há também as seções: ComunidadeGV, Ensaio, Letras e Números, Blog e Agenda. A ComunidadeGV é dedicada aos alunos e professores, Ensaio trata de textos opinativos e críticos, Letras e Números destaca atualidades culturais, Blog aborda as discussões do site e Agenda os eventos relevantes para o leitor.

Para mais informações sobre a "GV-executivo" acesse o site: www.rae.com.br/executivo.



Posse na ANGRAD

O vice-reitor de assuntos institucionais, Guilherme Marback Neto, faz parte da nova diretoria da Associação Nacional dos Cursos de Graduação em Administração (ANGRAD). O professor da UNIFACS foi empossado na sexta, dia 13 de junho, em evento realizado na Casa do Comércio. Guilherme Marback ainda proferiu uma das palestras do dia, falando sobre o tema “Elo Institucional nas Instituições de Ensino Superior”.



Comemoração de 30 anos

Um almoço de adesão no restaurante Alfredo di Roma vai comemorar os trinta anos das turmas de ADM formadas em 1978 pela UNIFACS. A reunião está marcada para o sábado, dia 19 de julho, a partir das 12h30, e terá a presença do reitor da UNIFACS, professor Manoel Barros.

Mais informações com a professora Sandra Gonzaga, pelo telefone 3271.8127 ou pelo e-mail diplomados@unifacs.br">diplomados@unifacs.br.



Mercado de Capitais

Acontece de 9 a 14 de junho o treinamento “Introdução ao Mercado de Capitais”. O objetivo é capacitar o participante a realizar a análise do mercado de capitais, para que ele possa investir por conta própria no mercado de ações. O curso será ministrado pelo consultor e distribuidor do Banco Opportunity, André Rebouças Veloso, e terá carga horária de 18 horas.

Inscrições e informações pelo telefone (71) 4009-9119 ou pelo e-mail extensa@unifacs.br">extensa@unifacs.br. Comunidade UNIFACS tem 10% de desconto.



Pró-Reitor discute Liberdade, Capitalismo e Democracia

O Pró-Reitor de Pesquisa e Pós-Graduação, Alexandre Barros, participou entre os dias 17 e 20 de julho, da Reunião sobre Liberdade, Capitalismo e Democracia, realizada na cidade de Petrópolis (RJ) sob os auspícios do Liberty Fund.

O Colóquio reune 14 participantes que discutirão temas relacionados com o título da reunião. Participam dela professores, empresários, políticos, e editores de jornais e tomadores de decisão ,sob a coordenação do Professor José Luiz Carvalho, Ph.D. em Economia pela Universidade de Chicago.

O Liberty Fund, sediado em Indianápolis (Indiana-EUA), foi fundado em 1960 por Pierre Goodrich, que deixou sua a maior parte de sua herança para constituição e financiamento do fundo.

O Liberty Fund se dedica essencialmente ao estudo de temas ligados à Liberdade e promove mais de 150 reuniões por ano ao redor do mundo sobre o tema.



Prêmios Chafi Haddad e George Stigler prestigiam pesquisas de professores e qualidade de ensino

A edição 2008 do Prêmio Chafi Haddad de Excelência de Ensino, criado para prestigiar e estimular a qualidade de ensino no Ibmec São Paulo, premiou dois professores como os que mais se destacaram no ano de 2007, Sérgio Ricardo Martins, da Graduação, e Nuno Miguel Campos Guapo de Almeida, da Pós-graduação.

Os professores foram reconhecidos mediante indicação dos alunos da Graduação, da Pós-graduação, além da participação de colaboradores.

O prêmio George Stigler de Excelência em Pesquisa, criado para reconhecer os melhores trabalhos de pesquisa publicados pelos professores da Escola, anualmente, premiou Mauricio Bugarin pelo artigo “Transferências voluntárias e ciclo político-orçamentário no federalismo fiscal brasileiro”, e Sérgio Lazzarini, pelo artigo “The impact of membership in competing alliance constellations: evidence on the operational performance of global airlines”.

A seleção das publicações premiadas levou em consideração a contribuição para o avanço do conhecimento nas áreas de administração, economia e outras afins do Ibmec são Paulo; e a contribuição para o entendimento ou a solução de problemas relevantes para o Brasil e seu impacto positivo no meio acadêmico e na sociedade. De acordo com Sérgio Lazzarini, “a premiação é um reflexo do apoio que o Ibmec São Paulo dá a seus professores para gerarem pesquisas, principalmente, em temas relacionados às questões reais e práticas”.

Os artigos vencedores podem ser consultados, na íntegra, na Biblioteca Telles do Ibmec São Paulo.



Professores da USCS premiados em Congresso Internacional

Professores da Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS), Denis Donaire e Marcos Antonio Gaspar, foram premiados na 9ª edição da Conferência Mundial da GITMA (Associação Global de Gestão da Tecnologia de Informação), realizada neste ano, em Atlanta (EUA), entre os dias 22 e 24 de junho.

O reconhecimento é resultado do estudo "Atendimento virtual ao cliente em grandes empresas brasileiras", desenvolvido em conjunto com os professores Silvio Aparecido dos Santos (FEA-USP) e Carlo Gabriel Porto Bellini (UFPB) e considerado o Melhor Trabalho do evento.

"A pesquisa abrange 110 grandes empresas brasileiras, divididas em 11 diferentes setores. Ao analisar esses dados, foi possível avaliar e classificar a situação do atendimento virtual prestado nessas áreas", explica o prof. Gaspar, destacando a importância de uma rede de relacionamentos para o sucesso do trabalho. "No ano passado participei do I Encontro de Administração da Informação, evento da ANPAD (Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração), quando conheci o prof. Carlo Bellini. Conversamos um pouco sobre o assunto, trocamos e-mails e, em parceria com os professores Denis e Silvio Aparecido, conseguimos dar andamento ao estudo".

O professor Denis Donaire é o atual Pró-reitor de Educação a Distância e Novas Tecnologias da USCS. Já o prof. Marcos Antonio Gaspar é gestor da Coordenadoria de Publicações e Assuntos CAPES da Universidade.

Mais informações sobre a Conferência do GITMA no link: www.science.kennesaw.edu/~pdembla/gitma/



O melhor artigo do ENEO-2008 é do PPA

O melhor artigo do Encontro de Estudos Organizacionais, realizado em Belo Horizonte, de 18 a 20 de junho de 2008, foi agraciado com o prêmio “Fernando Cláudio Prestes Motta”. O prêmio é uma homenagem à inestimável contribuição do acadêmico ao desenvolvimento da área de estudos organizacionais no Brasil.

O trabalho premiado se intitula "As Ações de um Programa Governamental na Constituição do Sujeito Pequeno Produtor Rural: uma Análise à Luz de Michel Foucault" e é de autoria de Luciano Mendes e Elisa Yoshie Ichikawa.
 
Trata-se de um recorte da dissertação de mestrado "A constituição do sujeito no âmbito do desenvolvimento tecnológico: identidade do pequeno produtor ou formação discursiva?" defendida pelo então mestrando Luciano Mendes, em Março de 2006, sob a orientação da Profa. Dra. Elisa Yoshie Ichikawa. Atualmente Luciano faz doutorado em Administração na UFRGS.

O prêmio, decorrente de árduo empenho do aluno e de sua orientadora, é visto também pela comunidade do PPA UEM/UEL como um reconhecimento à qualidade da pesquisa praticada em nosso Programa de Pós-Graduação, marcando esse momento de grande intensificação dessa produção.



Monografia de servidora da UFV é publicada no site Abeu em Rede

A Associação Brasileira das Editoras Universitárias (Abeu) publicou, no dia 27 de junho, em seu site “Abeu em Rede”, o resumo da monografia elaborada pela servidora Rizele de Castro Reis, diretora da Editora UFV (EDT), intitulada “O Processo Editorial nas Editoras Vinculadas a Universidades Públicas Federais Brasileiras – Um Diagnóstico Multicaso”, que foi apresentada às Faculdades Integradas de Jacarepaguá, como trabalho final de sua pós-graduação.

Em seu estudo, a diretora da EDT faz um diagnóstico das editoras universitárias, cujo resumo, publicado na íntegra pela Abeu, é transcrito abaixo:

"Este trabalho buscou levantar e analisar políticas e procedimentos de editoras vinculadas a Universidades Públicas Federais Brasileiras, no que concerne, principalmente, à captação e seleção de obras.

As unidades de estudo foram as editoras das Universidades Federais de Roraima, Pará, Alagoas, Bahia, Mato Grosso, Brasília, São Carlos, Minas Gerais, Viçosa, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, abrangendo, pois, todas as regiões do País, o que resultou em maior representatividade das dimensões estudadas.

A análise comparativa entre as editoras pesquisadas abordou, principalmente, os seguintes itens: receita e outras linhas de financiamento, linha editorial, estímulo à publicação, normas de publicação e processos de captação, avaliação e seleção das obras.

Quanto aos dados (encontram-se algumas discrepâncias entre as informações disponíveis para o público e aquelas fornecidas pelas editoras. Recomenda-se um esforço maior dos veículos de comunicação das IFES e de suas Editoras no sentido de manter atualizados os seus sites) obtidos, a sua análise permitiu chegar aos seguintes resultados:

- Independentemente de serem recentes ou mais antigas, pequenas ou grandes, localizadas em capitais ou no interior, as editoras públicas universitárias primam pela realização de um cuidadoso processo editorial, desde a entrada do original em sua sede até a decisão final quanto a sua publicação;

- No que tange ao número de propostas de publicação recebidas, essas editoras normalmente recebem elevado número de originais, muitas vezes ultrapassando a sua capacidade de publicação. Essa expressiva demanda de originais deve-se ao fato de as editoras: 1) já terem atingido um elevado grau de credibilidade e disporem de ótimo conceito nas universidades; 2) editarem livros cujo conteúdo se pauta pela excelência qualitativa; 3) possuírem conselho editorial próprio e terem fácil acesso a especialistas, normalmente doutores, possibilitando maior rigor na seleção das obras e, em conseqüência, melhores conteúdos; 4) trabalharem com a produção intelectual de suas universidades; 5) privilegiarem a qualidade do trabalho em detrimento de sua demanda comercial; e 6) obterem total confiança dos autores, em razão da imparcialidade na avaliação dos trabalhos, considerando-se os critérios e procedimentos por elas adotados no cumprimento dessas tarefas.

Além desses pontos, atualmente destaca-se a pressão que as universidades vêm sofrendo por melhores índices de rendimento, obrigando-as ao financiamento das suas ações, gerando aumento vertiginoso da necessidade de publicar obras diversas.

Não obstante o reconhecimento da qualidade de suas publicações e a sua inserção, cada vez maior, no mercado editorial brasileiro e da América Latina, as editoras têm, em grande parte, deixado de captar obras de interesse e de grande expressão por falta de verba e de uma política editorial das universidades de que fazem parte. Não se pode ignorar que mesmo diagnosticando a necessidade de determinada obra e identificando os autores adequados, a sua captação só poderá ser efetivada havendo provisão de recursos financeiros, já que a sua produção seria, provavelmente, sob encomenda.

Quanto maior for a verba das editoras e mais consistente e adequada a política das universidades em que se encontram inseridas, bem como o apoio financeiro, maior poderá ser o aumento quantitativo e qualitativo das publicações das Editoras Públicas Universitárias, permitindo-lhes maior rigor na seleção e captação de seus títulos e possibilidade de inserção no meio editorial.

Com uma estrutura física e organizacional compatível com a de uma consolidada empresa editorial, as editoras podem ampliar a sua produção, bem como a divulgação e distribuição de suas publicações, participando com estandes próprios em feiras, bienais e congressos diversos. Essa condição, além de ampliar a receita das editoras, as projetará muito mais no meio editorial do País e exterior e, em conseqüência, as Universidades de que fazem parte. Isso constitui um círculo virtuoso, já que a projeção dessas organizações resultaria em maior demanda de originais para as Editoras e lhes permitiria maior rigor na sua seleção, bem como na captação de obras de maior interesse, não só com relação à temática, mas também quanto à demanda comercial e, em conseqüência, haveria maior retorno financeiro, e assim sucessivamente.

Ao contrário, quanto menores os recursos financeiros das editoras e menos consistente e adequada a política editorial das universidades de que fazem parte, menores também poderão ser a quantidade e a elevação da qualidade das obras das editoras das Instituições Públicas, bem como a sua divulgação, influenciando negativamente a sua inserção no mercado editorial. Em outras palavras, a não-ocorrência do círculo virtuoso poderá causar o surgimento do círculo vicioso, levando ao atrofiamento ou mesmo à extinção de algumas editoras, em função do não-cumprimento de seus objetivos.

Nesse contexto, cabe às Universidades Públicas Federais, juntamente com os órgãos competentes da Administração Pública, refletirem sobre o seu papel na produção e manutenção do conhecimento e da cultura do País, dotando as suas editoras de recursos próprios suficientes para, com uma adequada estrutura física e organizacional, poderem não só selecionar obras conforme a demanda existente mas também captarem obras de expressivo valor científico-acadêmico e cultural.

O sucesso ou o insucesso dessas editoras pode, portanto, ser resultante de decisão típica de políticas de Administração Pública."



ANDIMA promove palestras sobre o mercado financeiro

Em Abril, a ANDIMA - Associação de Investidores do Mercado Aberto - marcou presença na UNINOVE com a participação dos palestrantes Luiz Figueiredo e Ricardo Cruz que abordaram temas atuais do mercado financeiro direcionados aos alunos de Ciências Econômicas.

O economista Ricardo Cruz, apresentou os principais produtos do mercado financeiro. ?Em meio a uma crise que assola o mercado internacional no momento, o conhecimento das particularidades de cada um dos produtos é importante, principalmente quando se busca alternativas de proteção financeira para os ativos e aplicações?, revelou Cruz.

Já o economista Luiz Figueiredo, apresentou aos calouros do curso, o vasto campo de atuação que existe atualmente no mercado de trabalho. "Iniciativas como esta, propiciada pela ANDIMA e a UNINOVE, enriquecem o aluno que busca novos rumos na carreira profissional", destacou a professora Paula Meyer Passanezi, coordenadora do curso de Ciências Econômicas.




Sustentabilidade e educação

O inicio das Olimpíada  na China , nesta semana,  trouxe o tema da sustentabilidade à pauta das discussões e noticias.

Há sete anos , este pais se prepara para abrigar os jogos olímpicos , com a construção dos estádios, linhas de metro, ampliação de aeroportos , remoção de fabricas poluidoras da periferia de Beijing, num esforço de mostrar ao mundo a nova potencia que é a China. Por coincidência, eu estava há sete anos atrás, viajando pelo território chinês, com minha família, quando numa pequena cidade no Monte Emei , eles souberam que haviam sido escolhidos para sediar este evento. Fomos testemunhas da alegria e vontade de todos em realizar o projeto.

A par da euforia e ufanismo presentes, a  questão dos riscos e  sustentabilidade permeia hoje as noticias e avaliações sobre este mega evento ,ora jogando luz sobre aspectos ambientais (o clima nas cidades, as condições do mar para velejar ) ora sobre as  questões sociais e  políticas.

No Brasil este tema também é constante nas manchetes , inclusive nos debates das eleições municipais. Em um artigo recente o Prof Goldenberg , lembrando Beijing, chama a atenção para a nossa cidade, para medidas que a prefeitura de São Paulo pode vir  a adotar para reduzir  a poluição que aflige de modo mais direto  os moradores da cidade , mas que tem conseqüências importantes para as mudanças climáticas do planeta. Sugere medidas na área do transporte, da energia, de gerenciamento de resíduos,  no próprio uso do solo, com aumento de áreas verdes.

Sob um outro foco, o da educação este tema também tem provocado reflexões importantes dos educadores – qual o legado para as próximas gerações de um planeta com escassez de recursos e degradação ambiental?  Se as ações apontadas na área governamental em consonância com as empresas são importantes , são fundamentais as mudanças também na formação dos jovens; sem isto  não se conseguem mudanças culturais de longo alcance.

Em um workshop realizado na Universidade de Cambridge, na Inglaterra,  o tema foi discutido em suas varias dimensões procurando-se  redesenhar os programas de formação para  engenheiros e administradores sob esta perspectiva.

As universidades brasileiras também têm –se debruçado sobre o tema. Em escolas de Administração, como a FEA/ USP e a EAESP/ FGV , centros de pesquisa contribuem com  conhecimento, cursos , atividades envolvendo alunos de graduação e pós graduação em temas como sustentabilidade social, financeira, ambiental,  produção sustentável , empreendedorismo social. Menciono estes centros e seus impactos positivos , pois são os conheço mais de perto, porem outras iniciativas ocorrem em diversos pontos do pais.

Quais são os desafios para fazer avançar estes projetos? O primeiro diz respeito ao transpor fronteiras de áreas do conhecimento, que se acham estruturadas em departamentos e escolas separadas . A necessidade de se adotar abordagens  interdisciplinares é essencial para se avançar nesta área para que realmente se gerem inovações .

Um segundo desafio é o respeito pela diversidade cultural , transpondo-se fronteiras não só em termos do conhecimento mas também de paises. Voltando ao seminário que participei em Cambridge,  uma das riquezas foi a diversidade de experiências, dos paises mais desenvolvidos no tema como os paises nórdicos,  das economias emergentes como China, Índia ,dos paises africanos. Não existem soluções fáceis , nem de curto prazo .

Repensar a construção de um mundo, de forma a reduzir o uso de recursos, a mudar os modelos de produção e consumo requer inovações de toda ordem. E principalmente nos projetos de formação das próximas gerações.




EdUERJ lança livro sobre a história da imprensa no Brasil

A editora da Universidade do Estado do Rio de Janeiro lança na próxima quarta-feira, às 19 horas, no Museu da República, Rua do Catete, 153, o livro “Entre a Monarquia e a República: Imprensa, Pensamento Político e Historiografia (1822-1889)”.

A obra, organizada pelas professoras do Programa de Pós-Graduação em História da UERJ, Mônica Leite Lessa e Silvia Carla Pereira de Brito Fonseca, faz uma reconstituição histórica do lugar da imprensa na história política brasileira no período que vai do primeiro Reinado, do Regente  Dom Pedro I,  até a Proclamação da República.

Segundo Mônica Lessa e Silvia Carla, o livro oferece um painel de pesquisas temáticas, temporais e geográficas. E permite ainda que seja analisada a trajetória da imprensa em terras brasileiras, “ao mesmo tempo tão impares e tão análogas a outros processos desenvolvidos em outras partes e outras épocas”.

O Livro será lançado em comemoração aos 200 anos da imprensa no Brasil. Nascida com o nome “imprensa régia” em 13 de maio de 1808,  o jornalismo tomou forma no país ainda neste mesmo ano, com a criação do Correio Brasiliense em 1º de junho e da Gazeta do Rio de Janeiro, em 10 de setembro.



Livro conta os 50 anos da Escola de Administração de Empresas de São Paulo

Em 1954 nascia a Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (FGV-EAESP). Os 50 anos foram comemorados em 2004, mas a partir desta data, surgiu a idéia de se fazer um livro contando a trajetória da Escola. Sob a coordenação geral da professora Marina Heck, responsável pela Coordenadoria de Extensão Cultural e da área GV- Comunidade, o livro FGV-EAESP 50 anos foi sendo construído em períodos decorrentes das memórias e histórias relatados pelos professores fundadores, primeiros alunos, alunos que se tornaram professores, empresários, executivos que hoje ocupam altos cargos em empresas e primeiras mulheres que ocuparam cargos na instituição. Também foram ouvidos os presidentes do Diretório Acadêmico, diretores da Escola, presidentes do Conselho de Administração bolsistas, administradores públicos e políticos.

Com projeto gráfico e editorial da Via Impressa, as entrevistas, sua organização e texto foram feitos por Clarisa Junqueira Coimbra, que utilizou a oralidade para a compreensão de fatos e comportamentos que marcaram a criação e a formação da EAESP. Com 224 páginas e muitas fotos, a obra está divida em quatro períodos: O Pioneirismo – 1954/1964; De Parâmetro a Paradigma – 1965/1979; Tempos Heróicos – 1980/1992; e Novos Rumos – 1993/2004. Em cada um dos períodos há uma síntese histórica socioeconômica, política e cultural do Brasil, o que ajuda a entender em que medida o macro contexto influenciou as atividades da Escola e o quanto foi influenciado por ela. O livro tem ainda uma rica pesquisa iconográfica que caminha por diferentes épocas.

Fruto da necessidade iminente de uma solução para apoiar o salto da industrialização paulista, a EAESP surgiu com uma nova proposta de formação dos primeiros professores, além da introdução do inovador “método de caso”, o que fez dela um agente de mudanças no quadro da administração no país e, conseqüentemente, um agente multiplicador da nova visão. Com a implantação da Escola na capital paulista, a administração no país conheceu uma importante mudança, que norteou a profissionalização das atividades empresariais, validado pelo sucesso de seus alunos no mercado profissional.

Na introdução da publicação, o professor Antonio Angarita Silva, um dos fundadores da EAESP e hoje vice-diretor da Escola de Direito da Fundação Getulio Vargas (EDESP), relembra a atuação marcante do professor Gustavo de Sá e Silva, que em sua gestão como diretor fez com que o pensar e o fazer estivessem sintonizados com o que a Escola representava para o ensino universitário entre os anos 60 e 70, como oferta de nova formação profissional aos jovens; métodos de ensino inovadores; novas práticas nas relações docente / discente passando pela convivência e atuação política; liberdade acadêmica e de ensino; introdução da organização departamental; e democracia dos órgãos colegiados. Tudo isso, reafirmando o pioneirismo da Escola e a consolidação de um novo paradigma no ensino da administração.

A obra traz depoimentos de importantes nomes que fizeram a história da Instituição. No período “O Pioneirismo” (1954/1964), além do professor Antonio Angarita Silva, participaram Geraldo José Lins (falecido em junho de 2007), Roberto Herbster Gusmão, Wolfgang Schoeps, Polia Lerner Hamburger, Claude Machline, Abilio Diniz, Marcos Vinicius Fittipaldi, Eugênio Emílio Staub, Eduardo Matarazzo Suplicy. Na parte “De Parâmetro a Pardigma” (1965/1979), os entrevistados foram Gustavo de Sá e Silva, Kurt Ernest Weil, João Carlos Hopp, Luiz Carlos Bresser-Pereira, Carlos Osmar Bertero, Laércio Francisco Betiol, José Ermírio de Moraes Neto (citado Antonio Ermírio de Moraes), Fabio Barbosa e Álvaro da Silva. Já na fase “Tempos Heróicos” (1980/1992) foram ouvidos Fernando Gomez Carmona, Paulo Clarindo Goldschmidt, Carlos Ernesto Ferreira, José E. Midlin, Célia Maria Bucchianeri Francini Vasconcellos, Antonio Carlos Rea, Marcos Cintra Cavalcanti de Albuquerque e Flavio Augusto Huttner.

Por último, no período “Novos Rumos” (1993/2004), os depoimentos foram de Michael Paul Zeitlin, Maria Lúcia Pádua Lima, Peter Sink, Zilla Patricia Bendit, Alain Florent Stemfer, Tadeu Massano, Francisco Sylvio de Oliveira Mazzucca; Camila de Assunção Appel, Fernando Meirelles e Carlos Ivan Simonsen Leal (atual presidente da Fundação Getulio Vargas).



Gestão de Redes de Cooperação Interempresariais. Em Busca de Novos espaços para o Aprendizado e a Inovação.
Francisco Teixeira (Organizador)

“Este livro examina o que são redes, suas raízes conceituais e como elas de organizam, como elas evoluem e como se pode aplicá-las. Nesse sentido, pretende reunir as melhores evidências disponibilizadas pela mais avançada pesquisa acadêmica, tomando a proposta de redes quase como um novo paradigma científico e prático, cenário privilegiado para o desenvolvimento sustentável, a preservação ecológica, o respeito cultural e a eqüidade social. Questões relacionadas à estrutura,a o funcionamento e às propriedades das redes são, de fato, relevantes para o contexto social e econômico contemporâneo: como evolui a colaboração entre indivíduos para se tornar ação grupal cooperativa? Como se propagam as conseqüências do efeito dominó que ameaça tanto os sistemas bancários quantos os aparelhos governamentais? Como pode se transmitir o capital social (ou as doenças transmissíveis) nas redes comunitárias? Qual é a melhor estrutura ou a arquitetura mais eficiente para uma rede de comunicações ou uma rede de organizações?

Temas relacionados ao comportamento de sistemas complexos do tipo redes são de grande interesse para muitas áreas de conhecimento, incluindo a física, a matemática, a informática, a biologia, a ecologia e a economia, assim como as ciências políticas, a antropologia e as ciências da administração. Há, inclusive, quem afirme que estamos na alvorada de uma nova revolução científica: a nova ciência das redes. Entender a estrutura e o comportamento dessas redes ajudar-nos-á a desenvolver soluções úteis para problemas tecnológicos e práticos, desde o desenho da melhor organização para uma empresa à construção da arquitetura mais eficiente para um grupo de instituições sociais interligados. O maior desafio então é colocar tais avanços científicos imediatamente ao serviço do desenvolvimento econômico social.”

Naomar Almeida Filho – Reitor da UFBa


Revista Organizações em Contexto - online

A Revista Organizações em Contexto destina-se a prover um meio ágil e democrático para a discussão de tópicos relacionados ao campo da Gestão das Organizações. Fiel à perspectiva de contribuir para o desenvolvimento do conhecimento na área de Administração, o que somente pode ser conseguido por meio da especialização na análise de temas, a Revista Organizações em Contexto focaliza primordialmente as seguintes sub-áreas da gestão das Organizações:

1. O campo dos Estudos Organizacionais;
2. Estudos sobre a Gestão de Pessoas no ambiente Organizacional;
3. Estudos Financeiros em Organizações, em especial em relação às Pequenas e Médias Empresas;
4. Estudos sobre Sistemas de Informação e Controle.

São bem-vindos artigos tanto na forma de ensaios teóricos quanto de pesquisas empíricas. Diversas abordagens epistemológicas e metodológicas são consideradas, desde que adequadas à condução da pesquisa descrita no artigo.



Análise das Organizações - Perspectivas Latinas: poder, cultura, subjetividade e vida simbólica
Tânia Fischer
Jean-François Chanlat
Roberto Fachin
Volume 2
Editora da UFRGS